Carreira no Exterior

Irlanda aprova novas áreas de trabalho para expatriados

By Abril 23, 2019 No Comments

A Irlanda já autorizou o visto de trabalho para novas profissões em conformidade com o critical skills, a chamada lista dos setores-chave com escassez de mão de obra no país e que autoriza a atuação de expatriados por meio de contratos (mínimos de 2 anos) e salário mínimo anual entre 30 e 60 mil euros conforme a ocupação.

Assim, de acordo com o DBEI (Departamento de Negócios, Empresas e Inovação da Irlanda), profissionais de áreas como Engenharia, Ciências Naturais e Sociais, TI, Serviços Sociais, Enfermagem e Obstetrícia, Terapia, Ensino, Administração, Mídia, Design, Marketing, são bem-vindos às empresas situadas em todo o território irlandês que sigam os critérios estabelecidos.

Especificamente engenheiros civis (Civil engineers), orçamentistas (Quantity surveyors), gerentes de projetos de construção (Construction project managers), Engenheiros mecânicos e elétricos com capacidades BIM (Mechanical and electrical engineers with BIM capabilities – Building Information Model) e diretores e técnicos de alto desempenho para organizações esportivas de alto nível (High Performance Directors and Coaches for high-level sports organisations), entre outros, estão aptos à candidatura de vagas por lá.

Profissionais expatriados na Irlanda

Outra novidade de acordo com a alteração no General Employment Permit (Licença Geral de Emprego) divulgada pelo governo irlandês, são as contratações que estejam em conformidade com Highly Skilled Eligible Occupations List, tais como o salário mínimo anual de 30 mil euros, contratação máxima de um ano, cota para número de vagas/contratados que pode variar de acordo com a profissão em todo o país, a análise do governo para a aprovação da contratação, entre outras. São as profissões:

Com a nova lei, soldadores e outros profissionais estão autorizados a trabalharem legalmente na Irlanda. Crédito: pixabay

  • Agentes de carga e frete;
  • Carpinteiros de cofragem (estrutura de edificação);
  • Estucadores (revestimento);
  • Encanador;
  • Engenheiros de ar condicionado e refrigeração;
  • Montadores de andaimes;
  • Operadores de guindastes;
  • Pedreiros;
  • Professores de orientação de carreira (escolas secundárias);
  • Soldador;
  • Trabalhadores em chapa metálica;
  • Vidraceiros, fabricantes de janelas e montadores;

Essas novidades acontecem porque todos os anos o governo irlandês realiza cerca de duas revisões na lista de áreas permitidas e, assim como algumas são inseridas, outras são excluídas, a fim de se manter o equilíbrio nos números da Economia. Portanto, de outro lado, setores como o de cuidadores (animais, crianças e idosos), hotelaria, limpeza, preparação de alimentos, entre outras não autorizam a atuação de expatriados.

Visto de trabalho na Irlanda

Inclusive, já falamos nesse artigo, sobre os diferentes tipos de visto de trabalho na Irlanda (Work Permit e a Critical Skills Employment Permit) e as implicações legais que envolvem o trabalho formal para expatriados. De modo geral, há uma série de exigências, ou critérios de elegibilidade, que incluem testes e documentos aos quais o candidato será submetido e que podem ser seguidas no site do DBEI conforme os formulários disponíveis.

Verifique a documentação necessária e preencha o formulário. Crédito: Pixabay

Para saber mais sobre as implicações legais e os tipos de vistos cedidos pelo governo irlandês, esse e-book  reúne diversas informações importantes. Para aqueles que desejam trabalhar na Europa, eu te dou algumas dicas sobre o mercado de trabalho, ajustes na apresentação do seu currículo, uso do LinkedIn e muito mais, veja o vídeo a seguir.